O que é a bitcoin e o que são criptomoedas?

É impossível negar a inovação e o desenvolvimento tecnológico nos últimos anos. Com a introdução da criptografia, várias aplicações vieram revolucionar a partilha de informação na internet.

Igualmente, com o aparecimento das criptomoedas, os serviços de pagamento online estão a mudar. Esta revolução lembra o que aconteceu com o boom da internet no final dos anos 90. Afinal, nessa altura, deu-se o início da rápida digitalização da informação. Mas afinal o que é a bitcoin e porque é tão importante?

A bitcoin é uma ideia. Alguns comparam-na a uma moeda tradicional, como o euro ou o dólar. Por outro lado, é também uma reserva de riqueza, como o ouro ou metais preciosos. Seja como for, a bitcoin carateriza-se por ser digital, livre e descentralizada.

Esta moeda digital constitui um código criptográfico que se distribuiu numa rede de partilha global. Isto é, os intervenientes mantêm a integridade do código impedindo qualquer bloqueio. Para que tal aconteça, é necessário eliminar cada um dos computadores ligados à rede. No entanto, essa tarefa não é de todo fácil, barata ou praticável.

Na comunidade da bitcoin participam já milhões de entusiastas, desenvolvedores e programadores. Nesse sentido, a bitcoin está livre do controlo externo por entidades como bancos centrais ou governos. Por conseguinte, constitui um sistema verdadeiramente descentralizado.

 

Funcionamento da bitcoin e da blockchain

A blockchain é a tecnologia inovadora que garante a segurança da rede da bitcoin. O processo envolve o registo e verificação das transações em tempo real numa lista global. 

Essa lista tem o nome de blockchain e organiza-se em cadeias de blocos. A blockchain é pública e contém toda a informação das transações realizadas desde o lançamento da bitcoin.

Os computadores da rede verificam e sincronizam a blockchain. O processamento das transações ocorre normalmente ao fim de 1 a 3 confirmações. Para isso, os computadores trabalham em conjunto para arranjar a solução que permite registar o próximo bloco na cadeia. Estes são desafios matemáticos complexos e exigem um elevado poder computacional. No entanto, a dificuldade da rede é ajustada consoante alguns parâmetros bem definidos.

Por outras palavras, a blockchain é sincronizada de forma quase imediata por todos os computadores da rede. Um pouco à semelhança do sistema par-a-par (P2P) onde não há um controlo centralizado. Por esse motivo, a blockchain é imutável e torna-se impossível esconder ou manipular as transações na rede. Para conhecer mais detalhes sobre funcionamento da blockchain é aconselhável a leitura do white paper da bitcoin. Este documento inspirou o desenvolvimento de criptomoedas alternativas, como o ethereum ou a ripple. Porém, a bitcoin foi a pioneira e é a moeda digital mais popular!

 

Mineração da bitcoin

O processo de verificação de transações tem o nome de mineração. Isso envolve uma competição entre os milhares de mineradores dentro da rede. Estes intervenientes recebem uma recompensa em bitcoin como incentivo pelo trabalho realizado com os seus processadores gráficos e também por manterem a rede efetivamente descentralizada. Atualmente, os desafios necessitam de um elevado poder computacional e por isso torna-se difícil minerar a bitcoin. As recompensas recebidas pelos mineradores seguem o protocolo que estabelece que esta é reduzida para metade a cada 4 anos.

Na prática, o número máximo de bitcoins só será atingido no ano 2140. Esse limite foi estabelecido pelo próprio criador da moeda, um desenvolvedor misterioso dado pelo nome de Satoshi Nakamoto. Podemos considerar que uma das razões que fomentou o interesse de muitos programadores pela bitcoin foi sem dúvida a forma como a bitcoin é colocada em circulação. Por isso, após o seu lançamento em 2012, a bitcoin alcançou rapidamente uma vasta comunidade de desenvolvedores e entusiastas que a mantém unida.

 

o-que-e-a-bitcoin-tugabitcoin

 

Como posso enviar a bitcoin?

A bitcoin pode ser enviada através dum computador ou dispositivo móvel. Para qualquer pessoa e em qualquer lugar, durante o dia e a qualquer hora da noite! Isto torna a sua utilização muito prática e conveniente. Não só para pagamentos online mas também como um ativo de riqueza. Por exemplo, é possível fazer compras de produtos digitais em websites ou outros espaços que aceitem bitcoin, como casinos, hóteis e lojas.

Além disso, a taxa das transações é mínima e pode chegar bem perto de zero! Quando comparada ao custo duma compra com cartão de crédito, a taxa é praticamente nula. Isso torna-se mais visível em transferências bancárias internacionais, onde as taxas são muito elevadas devido aos vários intervenientes nesse processo. O tempo que demora o envio de bitcoins é drasticamente reduzido com a tecnologia da blockchain. Por exemplo, uma transação pode demorar apenas uns segundos ou minutos. Assim, a bitcoin é uma ótima opção: rápida, segura e económica.

Qual é o modelo físico da bitcoin?

Não existe nenhum modelo físico. Bem, pelo menos não se imprimem bitcoins… Não temos uma forma física de dinheiro com a bitcoin como a que existe com as moedas tradicionais. A bitcoin, ao ser digital, existe apenas dentro da rede descentralizada a que qualquer pessoa pode ter acesso.

Artigo relacionado: Como criar uma carteira bitcoin?

Quais são os limite da bitcoin?

Esta é uma pergunta muito comum. Afinal, quais são as limitações da bitcoin relativamente a outras moedas? Qual é o limite máximo de bitcoins? Para dar resposta a estas questões é importante conhecer o protocolo da criptomoeda. Por definição, o código da bitcoin estabece um máximo de 21 milhões de bitcoins. Este número finito significa que a bitcoin é uma moeda deflacionária. Isso é o contrário das moedas inflacionárias como o euro ou o dólar. Como referido, a criação de mais dinheiro por parte de bancos centrais conduz à inflação e desvalorização de uma moeda. Os bancos centrais que controlam moedas tradicionais podem imprimir dinheiro para cobrir as dívidas nacionais e oferecer empréstimos simplesmente ao fabricarem mais notas e moedas. Contudo, esse processo causa inflação e desvalorização da moeda.

O número máximo de bitcoins em circulação é de 21 milhões de moedas. Este valor finito, à semelhança do que acontece com o ouro, torna a bitcoin muito valiosa. Assim, a adoção e utilização leva a que a procura por mais bitcoins aumente. Como a oferta da moeda é escassa, a procura elevada faz subir o preço do bitcoin. Com a adoção por um mercado global, este preço vai ficar mais fixo. Nesse momento, significa que a oferta será mais escassa. Há quem ache que são poucas moedas… Contudo, 21 milhões de bitcoins é suficiente para cobrir o mercado de compras online e o mundo digital.

Próximo artigo: Quais as vantagens da bitcoin?